Facebook Instagram Youtube Google Plus Linked-in

22/10/2016 - Lei do Carma ou Lei da Causa e Efeito

Você planta o que semeia

Hoje vou falar sobre a Terceira Lei Espiritual do Sucesso de Deepack Chopra: a Lei do Carma ou de Causa e Efeito.

Essa lei é bem simples de entender: “Você colhe aquilo que semeia”. Ninguém planta milho e colhe girassol. Simples, simples essa lei.

Fica bem claro, que se desejamos felicidade, precisamos aprender a semear felicidade.

Carma implica, então, em escolha e ação conscientes. Se você, por exemplo, joga uma bolinha na parede, a força que ela voltará pra você será proporcional à que empregou quando a arremessou.

Tanto você quanto eu somos escolhedores infinitos. Em nossa vida, a todo momento, entramos no campo de todas as possibilidades, onde temos acesso a uma infinidade de escolhas. Algumas dessas escolhas são feitas conscientemente. Outras, inconscientemente.

Portanto, a melhor maneira de entender e utilizar ao máximo a lei do carma é estar conscientemente alerta para as escolhas que fazemos a todo momento.

Eu sei que parece insano falar isso, mas tudo o que está acontecendo neste momento em sua vida é resultado de escolhas feitas por você no passado. Infelizmente, muitos fazem escolhas inconscientes e, por isso, acham que não são escolhas. Mas, são!

Até ser insultado é uma questão de escolha. Se alguém tenta me ofender, por exemplo, eu escolho não ME ofender, não dar poder para o que essa pessoa me diz, pois o que ela diz e pensa a meu respeito, não me diz respeito., pois o pensamento é dela e não meu. Compreendeu?

Observe suas escolhas no momento em que elas ocorrem e se pergunte o que está aprendendo com elas e quais consequências dessas escolhas, porque quando faz isso, transfere todo o processo do terreno do inconsciente para o terreno do consciente.

Então, devemos estar sempre em estado de consciência,  nos perguntando o que estamos aprendendo com as experiências, será que essa escolha trará felicidade para mim e para os outros?

Devemos estar atentos ao que está acontecendo à nossa volta, quais as mensagens que o universo está transmitindo, como podemos tornar úteis nossas experiências aos outros.

Quando você estiver com dúvidas quanto a uma escolha, pergunte ao seu coração. É isso mesmo. Imagine você tendo que fazer uma escolha e tem duas opções: A e B.

Fique em silêncio e imagine escolhendo uma de cada vez e se perguntando o que aconteceria se escolhesse a A? e a B?  A escolha que mentalizar e que você sentir mais conforto físico, na região do coração, para a maioria das pessoas, sentindo uma certa leveza, é a escolha correta. Se do contrário, se seu corpo enviar uma mensagem de desconforto, é invariavelmente uma escolha ruim. Experimente. Lembra  daquela famosa frase: escute seu coração?. É pra escutar mesmo…sentindo-o.

Isso por que o coração é intuitivo. É holístico. Não se orienta por perdas e ganhos. Ele está conectado ao computador cósmico, ao campo da potencialidade pura, do conhecimento puro e do poder da organização infinita. 

Quanto mais escolhas você fizer no nível da percepção consciente, mais corretas e espontâneas serão sua escolhas – tanto para você, quanto para os que estão ao seu redor.

Toda vez que você estiver diante de um problema, ao invés de algemar-se e identificar-se com ele, pergunte-se: o que devo aprender com isso.

Ao fazer isso, você enxerga a semente da oportunidade e une essa semente ao seu darma, que é o seu propósito de vida. 

Por exemplo, se você quebra a perna jogando futebol, pergunte-se: “O que essa experiência está me ensinando, que mensagem o universo está me enviando?” Talvez seja a mensagem de que você precisa diminuir o ritmo da sua vida e ter mais cuidado e atenção com o seu corpo. E, se o seu darma for transmitir aos outros o que sabe, então, você  se pergunta, “como eu posso tornar essa minha experiência em algo  útil aos meus semelhantes ?”.

Talvez você decida compartilhar falando com pessoas a respeito do que aprendeu, ou fique mais atento ao seu próprio corpo e aos sinais que ele dá nas diversas situações da vida.

Quantas histórias conhecemos de dor que se transformou de forma abençoada em algo muito maior?

Quando você faz isso, estará transmutando seu carma numa experiência positiva.

Todas as nossas ações são episódios ligados ao darma. Beber uma xícara de café, por exemplo, é um deles. A ação gera memória, a memória tem a capacidade ou o potencial de gerar desejo.

Os processadores operacionais da sua alma são o carma, a memória e o desejo. A alma é um feixe de consciência que contém as sementes do carma, da memória e do desejo. Tornando-se consciente dessas sementes, você passa a ser um gerador consciente da realidade. Ao se transformar em um escolhedor consciente, você passa a gerar ações transformadoras para si e para os que estão ao seu redor. E, é só isso que você precisa fazer.

E, como o carma é transformador – tanto para o seu íntimo quanto para todos os que são afetados por ele – seu fruto será a felicidade e o sucesso.

 Vamos aos exercícios?

 1)     Observar as escolhas que vai fazer hoje a todo momento. E, na observação dessas escolhas, trazê-las para a percepção consciente. Ter bem claro que a melhor maneira de se preparar para todos os momentos do futuro é estar plenamente consciente do presente.

 2)     Toda vez que for fazer uma escolha, pergunte: “Quais serão as consequências dessa escolha ?”; “Essa escolha trará satisfação e felicidade a mim e aos outros que serão afetados por ela ?”

3)     Pedir então, orientação ao coração e seguir a mensagem enviada por ele, de conforto ou de desconforto. Se a escolha for de conforto, entregar-se totalmente a ela. Se a escolha for de desconforto, parar para ver as consequências daquele ato com  a sua visão interior. Essa orientação permitirá fazer escolhas corretas e conscientes tanto para você quanto para os que o circundam.

Por isso, tente ao máximo estar consciente de suas escolhas. Não as faça por impulso, pois fazendo isso, haverá uma grande possibilidade de você errar e sofrer por consequência.

Um forte amoroso e abraço.

Adriana Medeiroz